World Surf League abre três decisões de 2019 nesta semana

por Redação de Olho no Mar / 26/11/2019

Dos três eventos decisivos que começam nesta semana, o único já iniciado é a Vans World Cup no Havaí.

Três competições decisivas da World Surf League serão iniciadas nesta semana, com participação de surfistas brasileiros e peruanos. No Havaí, começou na segunda-feira o prazo para definir a campeã mundial de 2019 no lululemon Maui Pro e da Vans World Cup, que já abriu a batalha final do WSL Qualifying Series no mar clássico do primeiro dia, nas direitas perfeitas de 6-8 pés com vento terral em Sunset Beach. O bicampeão mundial Gabriel Medina é um dos brasileiros que vão competir e os dois eventos têm até o dia 6 de dezembro para serem encerrados. Mas, dois campeões mundiais certamente serão conhecidos até domingo, os da categoria para surfistas com até 18 anos no Taiwan Open World Junior Championship, que começa nesta terça-feira na Ilha Taiwan.

Sunset Beach bombando na segunda-feira (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

Em Honolua Bay, as ondas estavam pequenas na segunda-feira, então o início do lululemon Maui Pro foi adiado e também pode ser iniciado na terça-feira na ilha de Maui. Carissa Moore lidera o ranking na busca pelo tetracampeonato e venceu esta etapa em 2018, na final havaiana com Malia Manuel. Agora, o título de 2019 pode até ser decidido numa final entre ela e a vice-líder, Lakey Peterson. A jovem americana Caroline Marks, 17 anos apenas, é a outra única concorrente, mas já precisa chegar na final para superar a pontuação da líder.

Essa última etapa do World Surf League Championship Tour, também será decisiva para a cearense Silvana Lima. Ela precisa, no mínimo, chegar nas quartas de final para entrar no grupo das top-10 do ranking, que são mantidas na elite para o ano que vem. Além disso, tenta confirmar seu nome nas Olimpíadas de Tokyo 2020 e terá um duro desafio logo em sua estreia. Silvana foi escalada na segunda bateria com a vice-líder, Lakey Peterson, e a bicampeã mundial Tyler Wright, que vai participar da sua primeira competição esse ano.

Alejo Muniz (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

FINAL DO QS 2019 – Dos três eventos decisivos que começam nesta semana, o único já iniciado é a Vans World Cup no Havaí. As condições estavam ótimas na segunda-feira, com vento terral e mar clássico em Sunset Beach, para dar a largada na grande final do WSL Qualifying Series 2019, um dia depois das finais do Hawaiian Pro. O catarinense Alejo Muniz competiu nas quartas de final no domingo em Haleiwa e na segunda-feira já encarou três havaianos na primeira fase em Sunset, passando em segundo na disputa vencida por Kiron Jabour.

A grande atração da Vans World Cup é a participação do bicampeão mundial Gabriel Medina. Ele é um dos dez brasileiros da lista dos 32 principais cabeças de chave, que só entram na terceira e última fase de dezesseis baterias, já disputando classificação para as oitavas de final. Mais seis titulares da seleção brasileira do CT estão neste grupo, como Jadson André e Yago Dora, dois dos quatro já garantidos no CT 2020 pelo QS, junto com Alex Ribeiro e Miguel Pupo.

Tomas Hermes (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

Além de Alejo Muniz, mais seis brasileiros competiram na segunda-feira e quatro também avançaram para enfrentar os 32 pré-classificados que entram na segunda fase. A estreia foi com uma eliminação dupla, do baiano Marco Fernandez e do paulista Flavio Nakagima, para o australiano Chris Zaffis e o big-rider havaiano, Tyler Newton. Para compensar, uma dobradinha verde-amarela vencedora na bateria seguinte, com o catarinense Tomas Hermes e o paulista Thiago Camarão, despachando o taitiano Tereva David e o australiano Dean Bowen.

O campeão sul-americano da WSL Latin America em 2019, também estreou no primeiro dia e João Chianca atacou forte uma onda para eliminar dois havaianos, Keanu Asing que já foi da elite do CT e Ocean Macedo. O surfista de Saquarema passou em segundo na bateria vencida pelo americano Ian Crane. Na seguinte, Alejo Muniz enfrentou três havaianos e barrou mais dois, Benji Brand e Kainehe Hunt, na vitória de Kiron Jabour. E o paulista Weslley Dantas ganhou o último confronto do dia batendo dois também, Brodi Sale e Noah Beschen.

João Chianca (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

INKA TEAM NO HAVAÍ – Dois peruanos reforçam a participação sul-americana no QS 10000 Vans World Cup. Joaquin del Castillo foi o primeiro a estrear na segunda-feira, antes dos brasileiros. Ele competiu na quarta bateria do dia e selou a aposentadoria do americano Tanner Gudauskas, que tinha anunciado sua despedida do Circuito Mundial nesta Tríplice Coroa Havaiana. Ele perdeu para o peruano, a briga pela segunda vaga na disputa que envolveu dois havaianos, com Finn McGill passando em primeiro lugar.

O outro representante do Inka Team no último QS do ano é Alonso Correa, que chegou nas semifinais da outra etapa disputada em Sunset Beach, antes de começar a Tríplice Coroa. O peruano é um dos 32 pré-classificados que entram na segunda fase e vai estrear na décima bateria, junto com o australiano Matt Banting, que está na briga direta pelas últimas vagas no G-10 do QS, para o CT do ano que vem. O catarinense Tomas Hermes e o havaiano Tyler Newton são os dois adversários deles, vindos da primeira fase.

Joaquin Del Castillo (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

BRASIL NA SEGUNDA FASE – Joaquin del Castillo foi para a terceira bateria, do americano Jake Marshall e dos havaianos Joshua Moniz e Billy Kemper. Oito brasileiros também vão disputar a segunda fase, cinco classificados na segunda-feira e três que estrearão na competição. Um é o jovem paulista Samuel Pupo, que saiu da lista dos dez que sobem para o CT no domingo em Haleiwa Beach. Ele está na 11.a bateria, que será um confronto direto com os Estados Unidos, pois Alejo Muniz vai competir junto com o Samuca, contra Cam Richards e Ian Crane.

Os pernambucanos Luel Felipe e Ian Gouveia também vão entrar nesta segunda fase. Luel é o brasileiro mais bem colocado na Tríplice Coroa Havaiana deste ano, com o nono lugar no QS 10000 Hawaiian Pro, conquistado nas quartas de final disputadas no domingo em Haleiwa. Ele também terá a companhia de um brasileiro da primeira fase, o saquaremense João Chianca. Os dois vão enfrentar o australiano Mitch Crews e o havaiano Kiron Jabour na 12.a bateria.

Thiago Camarao (Foto: Tony Heff / WSL via Getty Images)

PRO JUNIOR – No Taiwan Open World Junior Championship, três surfistas do Brasil e dois do Peru, vão buscar os títulos mundiais a partir desta terça-feira nas ondas de Jinzun Harbor, onde no ano passado, o catarinense Mateus Herdy aumentou para oito o recorde de títulos brasileiros nesta categoria da World Surf League. O primeiro peruano a ser campeão sul-americano Pro Junior na história da WSL Latin America, Raul Ríos, foi escalado junto com o vice-campeão, o catarinense Lucas Vicente, e o havaiano Robert Grilho, na segunda bateria.

Nesta primeira fase, os vencedores das baterias avançam direto para a terceira fase. Os que perderem, terão outra chance de classificação na segunda fase, quando começam os confrontos eliminatórios. O paulista Fernando Junior é o terceiro participante da América do Sul em Taiwan esse ano e está na quinta bateria, com o francês Justin Becret e o australiano Xavier Huxtable.

Na categoria feminina, a catarinense Tainá Hinckel, que conquistou seu segundo título sul-americano esse ano, vai competir na primeira bateria com duas havaianas, Gabriela Bryan e Savanna Stone. E a peruana Sol Aguirre, também bicampeã sul-americana em 2017 e 2018, está na quinta e penúltima bateria da primeira fase, com a japonesa Sara Wakita e a portuguesa Mafalda Lopes.

Acesse as transmissões ao vivo do QS 10000 Vans World Cup em Sunset Beach, da decisão do título mundial feminino no lululemon Maui Pro e do Taiwan Open World Junior Championship, pelo www.worldsurfleague.com ou pelo aplicativo da World Surf League.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL Latin America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com