Pena Little Monster começa nesta sexta-feira na Praia da Taíba no Ceará

por Redação de Olho no Mar / 30/05/2019

Muitos surfistas já atravessaram o continente até o Ceará, para competir em condições bem diferentes, saindo do frio da Cordilheira dos Andes para a quente e sempre ensolarada Região Nordeste do Brasil.

A maratona de eventos do Circuito Sul-americano Pro Junior da WSL South America neste mês de maio, prossegue nessa semana com a estreia do Pena Little Monster nas ondas da Praia da Taíba, no município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará. A batalha pelos títulos de melhor surfista profissional com até 18 anos de idade da América do Sul, começou no Rio de Janeiro e a segunda etapa aconteceu nas ondas geladas de Iquique, no Chile. Muitos surfistas já atravessaram o continente até o Ceará, para competir em condições bem diferentes, saindo do frio da Cordilheira dos Andes para a quente e sempre ensolarada Região Nordeste do Brasil.

Daniel Adisaka (Foto: Pedro Monteiro / Oi Pro Junior)

“Eu nunca competi na Praia da Taíba, mas estou bem focado nos meus objetivos e, pelo que sei, é uma onda bem ao meu gosto, então estou ansioso para chegar lá”, disse o paulista Daniel Adisaka, no Chile. “Estou com pranchas bem apropriadas para o tipo de mar do Nordeste e quero chegar um pouco antes, para já ir me adaptando com o lugar e o clima, que são bem diferentes daqui do Chile. Quero treinar o máximo que puder para botar as pranchas no pé, me adaptar com a água quente de novo e espero conseguir mais um bom resultado lá, porque uma das minhas metas é me classificar para o Mundial Pro Junior da WSL esse ano”.

Daniel Adisaka foi vice-campeão na primeira etapa válida pelo título sul-americano Pro Junior da WSL South America de 2019 na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. No Chile, chegou a liderar o ranking durante o evento de Iquique, mas Leo Casal assumiu a primeira posição com a vitória na final catarinense com Lucas Vicente nas ondas geladas de La Punta, na Playa Cavancha.

Cauã Costa (Foto: Pedro Monteiro / Oi Pro Junior)

No entanto, os finalistas em Iquique preferiram ficar no Chile para disputar o QS 3000 que está rolando nessa semana em Arica, então Daniel Adisaka tem grandes chances de liderar o ranking com um bom resultado no Pena Little Monster, que começa na sexta-feira e vai até domingo na Praia da Taíba. Uma das revelações do evento promovido pela Pena, o cearense Cauã Costa, só competiu no Rio de Janeiro e é forte candidato para vencer em casa.

Na categoria feminina, as principais concorrentes ao título sul-americano e pelas duas vagas para o Mundial Pro Junior da World Surf League, que será disputado em novembro na Ilha Taiwan, estão confirmadas para competir no evento criado pela marca Pena Live Freestyle, para descobrir novos monstrinhos no surfe brasileiro. Na categoria masculina, os quatro primeiros no ranking final da WSL South America, se classificam para o Mundial.

A campeã sul-americana de 2016, Tainá Hinckel, venceu a primeira etapa no Rio de Janeiro e se manteve na frente do ranking no Chile. Mas, a peruana Daniella Rosas entrou na briga com o vice-campeonato em Iquique, passando a dividir a vice-liderança com sua compatriota, Sol Aguirre, bicampeã sul-americana da WSL South America nos dois últimos anos.

Daniela Rosas (Foto: Nicolás Diaz)

“Eu não consegui a vitória aqui, que era o que eu buscava, mas o segundo lugar também foi um bom resultado e vou com tudo para o Brasil”, disse Daniella Rosas. “Estou com boas pranchas e confiante para buscar outros bons resultados no Pro Junior. Agora vou competir em águas mais quentes, em ondas bem diferentes daqui do Chile, menores, então creio que vai ser uma boa competição no Brasil. Todas as meninas estão indo superpreparadas, nós do Peru, da Argentina, do Brasil especialmente que são superfortes em casa e acredito que será uma grande disputa, porque todas estão surfando superbem”.

Além do Pro Junior, que está estreando no Circuito Sul-americano da World Surf League esse ano, o Pena Little Monster também terá todas as categorias tradicionais do evento realizado desde 2014, para descobrir novos talentos no surfe brasileiro. Este circuito patrocinado pela Pena Live Freestyle, logo se tornou uma das principais competições para as categorias de base do esporte, então os monstrinhos também vão disputar títulos na Sub-08, Sub-10, Sub-12, Sub-14 e Sub-16 masculinas e na Sub-14 feminina, nas ondas da Praia da Taíba, neste fim de semana em São Gonçalo do Amarante, no Ceará.

Muitos surfistas que hoje brilham no cenário internacional do esporte, já vestiram a lycra de competição dos eventos da Pena quando eram mais jovens, como os tops da elite atual do CT, os potiguares Italo Ferreira e Jadson André e os cearenses Michael Rodrigues e Silvana Lima. O Pena Little Monster é um dos eventos mais tradicionais do surfe brasileiro. O circuito teve o seu início na década de 90 com outro nome, Pena Surf Nordeste, realizando etapas em todos os estados do Nordeste do Brasil, mudando em 2014 para Pena Little Monster.

Neste ano, com o evento passando a valer pontos para o Sul-americano da WSL South America, pela primeira vez surfistas de outros países do continente, como Argentina, Peru e Chile, estarão competindo no Pena Little Monster. Será também uma grande oportunidade para os surfistas da Região Nordeste do Brasil, que não têm bons patrocinadores para viajarem para o Sul/Sudeste e outros países do continente, pontuarem no ranking sul-americano.

Pena Little Monster é uma realização da Federação de Surf do Estado do Ceará e da Top 16 Promoções e conta com o patrocínio da Pena Live Freestyle e apoio do Governo do Estado do Ceará através da Secretaria do Esporte, da Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante, Malhas Menegotti e CT Wax. O evento foi homologado pela World Surf League como terceira etapa do Circuito Sul-americano Pro Junior de 2019 e será transmitido ao vivo da Praia da Taíba pelo www.worldsurfleague.com

PENA LIVE FREESTYLE – A história da Pena foi iniciada em 1986, por Raimundo Bernardo Neto, que sempre foi conhecido pelo nome que deu origem à marca. Hoje, a Pena Live Freestyle patrocina vários atletas, com destaque para o top da elite do CT, Deivid Silva, além de sempre promover eventos apoiando o crescimento do surfe brasileiro nesta trajetória, que chega a 33 anos em 2019. Como o próprio Pena diz, “surfar todos os dias e trabalhar em prol do desenvolvimento do esporte”foi quase um lema na sua vida e o surfe brasileiro agradece!

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

——————————————————————

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

——————————————————————

TOP-10 DO SUL-AMERICANO PRO JUNIOR MASCULINO – 2 etapas:

01: Leo Casal (BRA) – 1.200 pontos

02: Daniel Adisaka (BRA) – 1.145

03: Daniel Templar (BRA) – 1.120

04: Lucas Vicente (BRA) – 1.030

05: Mateus Herdy (BRA) – 1.000

06: Raul Rios (PER) – 760

07: Fernando Junior (BRA) – 605

08: Eduardo Motta (BRA) – 600

09: Luan Hanada (BRA) – 595

10: Leonardo Barcelos (BRA) – 580

—-ranking completo no link:

https://www.worldsurfleague.com/athletes/tour/mjun?regionId=8&year=2019

TOP-10 DO SUL-AMERICANO PRO JUNIOR FEMININO – 2 etapas:

01: Tainá Hinckel (BRA) – 1.560 pontos

02: Sol Aguirre (PER) – 1.310

02: Daniela Rosas (PER) – 1.310

04: Isabela Saldanha (BRA) – 790

05: Coco Cianciarulo (ARG) – 720

05: Lara Barrios (PER) – 720

07: Julia Duarte (BRA) – 700

08: Alessia Moro (PER) – 600

09: Julia Camargo (BRA) – 560

09: Bruna Carderelli (BRA) – 560

—-ranking completo no link:

https://www.worldsurfleague.com/athletes/tour/wjun?regionId=8&year=2019