O carioca Lucas Silveira festeja primeira vitória no QS 3000 da Indonésia

por Redação de Olho no Mar / 06/05/2019

ambém no sábado, foi encerrado o QS 6000 Ichinomiya Chiba Open no Japão, com Nat Young vencendo uma final norte-americana com Evan Geiselman em Shida Point para assumir a vice-liderança no ranking

O carioca Lucas Silveira conquistou neste sábado na Indonésia, a sua primeira vitória em etapas do WSL Qualifying Series e a quinta do Brasil esse ano no circuito que classifica dez surfistas para a elite dos top-34 da World Surf League. A decisão do título do QS 3000 Krui Pro, nas esquerdas perfeitas de 6 pés sólidos em Ujung Bocur, na ilha Sumatra, foi contra o australiano Mitch Coleborn, que tinha barrado o bicampeão mundial Gabriel Medina nas quartas de final que abriram o último dia do evento. Também no sábado, foi encerrado o QS 6000 Ichinomiya Chiba Open no Japão, com Nat Young vencendo uma final norte-americana com Evan Geiselman em Shida Point para assumir a vice-liderança no ranking, que continua com o brasileiro Jadson André na frente, mesmo sem competir nessa semana.

Lucas Silveira (Foto: Tim Hain / WSL via Getty Images)

“Que dia! Eu nem consigo acreditar que tudo isso está acontecendo. Esta é a minha primeira vitória no QS e isso significa muito para mim”, disse Lucas Silveira. “As ondas estavam muito boas hoje (sábado), ou melhor, estavam boas a semana toda e eu gostaria que tivéssemos ondas assim em mais eventos, mas, lamentavelmente, isso não acontece com muita frequência. Eu nunca tive um bom começo de ano no QS. Normalmente, só consigo bons resultados no final do ano, então eu nunca estive tão perto de me classificar para o CT, então espero entrar neste ano com mais alguns grandes resultados como esse agora”.

Com a vitória no QS 3000 Krui Pro, Lucas Silveira subiu da 65.a para a 22.a posição no ranking. Na decisão do título, Lucas Silveira começou bem a bateria, escolhendo uma onda que abriu uma parede limpa para mandar suas pancadas de backside e largar na frente com nota 7,00, contra 5,83 do australiano. Não demorou e logo o carioca pega outra onda boa, aproveita a chance ao máximo para receber 7,83 e atingir imbatíveis 14,83 pontos. Mitch Coleborn ainda tentou a virada em sua última onda, mas só conseguiu 6,63 e terminou com 12,46 no total.

Esta foi a segunda vitória de Lucas Silveira na World Surf League. A primeira aconteceu em 2015, quando conquistou o título mundial da categoria Pro Junior em Portugal. Ele já havia disputado duas finais em etapas do WSL Qualifying Series desde 2012, quando apareceu pela primeira vez no ranking. A primeira em 2016, perdendo a decisão para o francês Joan Duru no QS 1500 de Lacanau, na França. A segunda no ano passado, no QS 1500 Reef Paris Peñascal Pro no Peru, vencido pelo peruano Cristobal de Col.

(Foto: Tim Hain / WSL via Getty Images)

VAGAS NO G-10 – Com os 3.000 pontos do Krui Pro, Lucas Silveira poderia ter subido até mais do que o 22.o lugar no ranking, isso se nesta mesma semana, não estivesse rolando uma etapa mais importante, de 6.000 pontos no Japão. O campeão do Ichinomiya Chiba Open, Nat Young, foi um dos três que entraram no G-10 do QS neste sábado. Ele estava em 11.o na classificação e passou a dividir a vice-liderança com o australiano Matt Banting. Ninguém tirou o primeiro lugar do potiguar Jadson André, que decidiu os títulos das três primeiras etapas do QS 6000 no ano e venceu a primeira, o Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha.

Os outros dois que entraram na zona de classificação para o CT 2020 no Japão, foram o japonês Hiroto Ohhara e o australiano Connor O´Leary. Ambos perderam nas quartas de final do QS 6000 Ichinomiya Chiba Open. Os três tiraram da lista dois sul-americanos que não competiram em nenhuma das duas etapas, o peruano Miguel Tudela e o brasileiro Krystian Krymerson, além do francês Gatien Delahaye, que tinha entrado no G-10 com a vitória na estreia do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000 no Peru.

Os sul-americanos se dividiram nesta semana. A maioria escolheu a maior pontuação do Japão, mas a melhor participação nas pequenas ondas de Shida Point foi a do brasileiro Flavio Nakagima. Ele foi o único a chegar nos duelos homem a homem das oitavas de final, quando perdeu para o havaiano Barron Mamiya. Com o nono lugar no QS 6000 Ichinomiya Chiba Open, o paulista da Praia Grande entrou no grupo dos 100 primeiros no ranking, subindo de 117 para 73 na classificação geral das 24 etapas completadas neste sábado no Japão e na Indonésia.

Gabriel Medina (Foto: Tim Hain / WSL via Getty Images)

GABRIEL MEDINA – Os que preferiram competir nas ondas bem melhores da Indonésia, mesmo valendo menos pontos, saíram satisfeitos, pois foram premiados com esquerdas perfeitas durante toda a semana no palco do QS 3000 Krui Pro em Ujung Bocur, como outras ondas do sul da ilha de Sumatra. Um deles foi Gabriel Medina. O bicampeão mundial foi a grande atração do evento e o único top da elite que preferiu manter o “rip” de competição depois do Rip Curl Pro Bells Beach. Ele já está na Indonésia se preparando no clima e energia da próxima etapa, que começa em 13 de maio nas direitas de Keramas, na ilha de Bali.

Medina estreou na quinta-feira dando um show de aéreos em Krui e passou mais duas baterias na sexta-feira, sempre atendendo aos fãs que o cercavam toda vez que saía do mar. Ele era o grande favorito ao título, mas acabou perdendo para o australiano Mitch Coleborn nas quartas de final que abriram o sábado decisivo. Ficou a frustração para a torcida, mas o resultado não importava para ele e sim o treinamento em ondas perfeitas para tentar recuperar a lycra amarela do Jeep Leaderboard no Corona Bali Protected na semana que vem.

CAMINHO DA VITÓRIA – Já para o carioca Lucas Silveira, um bom resultado era importantíssimo para ele entrar na briga pelas dez vagas para o CT 2020. Ele começou bem o dia, com seu ataque de backside nas esquerdas de Ujung Bocur já sendo bem avaliado pelos juízes, que deram nota 7,50 na sua primeira onda. Depois, somou um 6,90 para bater Gatien Delahaye por 14,40 a 12,33 pontos, na bateria que iniciou o seu caminho da vitória no sábado. Com o quinto lugar nas quartas de final, o francês acabou sendo ultrapassado no ranking por quatro surfistas no Japão. Ele saiu do G-10, caindo do nono para o 13.o lugar.

Nas semifinais, as ondas ficaram perfeitas e foi quando Lucas Silveira fez a sua melhor apresentação, massacrando uma esquerda com uma série incrível de grandes manobras que valeram a maior nota do último dia, 9,5. Ele já havia surfado bem uma que rendeu 7,17 e ganhou a segunda vaga na grande final por 16,67 a 14,73 pontos do neozelandês Elliot Paerata-Reid. Na decisão contra o australiano Mitch Coleborn, computou notas 7,83 e 7,00 para festejar sua primeira vitória no WSL Qualifying Series por 14,83 a 12,46 pontos.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados das etapas do QS 6000 masculina e feminina do Vissla Sydney Surf Pro podem ser acessadas nas páginas dos eventos clicando em “Events” no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após 24 etapas:

01: Jadson André (BRA) – 15.000 pontos

02: Matt Banting (AUS) – 11.050

02: Nat Young (EUA) – 11.050

04: Alex Ribeiro (BRA) – 10.080

05: Reo Inaba (JPN) – 8.910

06: Jack Robinson (AUS) – 8.070

07: Jordan Lawler (AUS) – 7.980

08: Hiroto Ohhara (JPN) – 7.900

09: Connor O´Leary (AUS) – 7.420

10: Jorgann Couzinet (FRA) – 7.360

——-próximos sul-americanos até 100:

14: Miguel Tudela (PER) – 6.585 pontos

15: Krystian Kymerson (BRA) – 6.520

22: Lucas Silveira (BRA) – 5.670

25: Alonso Correa (PER) – 5.440

29: Jessé Mendes (BRA) – 4.950

31: Yago Dora (BRA) – 4.860

36: Ian Gouveia (BRA) – 4.600

40: Thiago Camarão (BRA) – 4.280

45: Gabriel Medina (BRA) – 3.910

48: Tomas Hermes (BRA) – 3.850

52: Marco Giorgi (URU) – 3.725

53: Marcos Correa (BRA) – 3.675

54: Lucca Mesinas (PER) – 3.610

55: Bino Lopes (BRA) – 3.595

56: Italo Ferreira (BRA) – 3.550

60: Miguel Pupo (BRA) – 3.470

62: Matheus Navarro (BRA) – 3.465

73: Flavio Nakagima (BRA) – 3.080

75: Samuel Pupo (BRA) – 2.990

76: Luel Felipe (BRA) – 2.950

83: Mateus Herdy (BRA) – 2.750

86: Rafael Teixeira (BRA) – 2.635

96: Manuel Selman (CHL) – 2.450

100: Tomas Tudela (PER) – 2.390

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 3000 KRUI PRO:

Campeão: Lucas Silveira (BRA) por 14,83 pontos (7,83+7,00) – US$ 15.000 e 3.000 pontos

Vice-campeão: Mitch Coleborn (AUS) com 12,46 pontos (6,63+5,83) – US$ 7.000 e 2.250 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 3.500 e 1.680 pontos:

1.a: Mitch Coleborn (AUS) 16.27 x 13.56 Cole Houshmand (EUA)

2.a: Lucas Silveira (BRA) 16.67 x 14.73 Elliot Paerata-Red (NZL)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 2.250 e 1.260 pontos:

1.a: Cole Houshmand (EUA) 14.87 x 13.17 Billy Stairmand (NZL)

2.a: Mitch Coleborn (AUS) 13.80 x 12.43 Gabriel Medina (BRA)

3.a: Elliot Paerata-Red (NZL) 15.23 x 9.57 Ruben Vitoria (ESP)

4.a: Lucas Silveira (BRA) 14.40 x 12.33 Gatien Delahaye (FRA)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS ATÉ SEXTA-FEIRA NA INDONÉSIA:

QUINTA FASE – 3.o=9.o lugar (US$ 1.250 e 900 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 950 e 840 pts):

2.a: 1-Gabriel Medina (BRA), 2-Cole Houshmand (EUA), 3-Anthony Fillingin (CRI), 4-Lucca Mesinas (PER)

3.a: 1-Ruben Vitoria (ESP), 2-Lucas Silveira (BRA), 3-Ryland Rubens (EUA), 4-Gearoid McDaid (IRL)

4.a: 1-Gatien Delahaye (FRA), 2-Elliot Paerata-Reid (NZL), 3-Tomas Hermes (BRA), 4-Aritz Aranburu (ESP)

QUARTA FASE – 3.o=17.o lugar (US$ 700 e 600 pts) e 4.o=25.o lugar (US$ 600 e 555 pts):

1.a: 1-Billy Stairmand (NZL), 2-Cole Houshmand (EUA), 3-Riley Laing (AUS), 4-Rafael Teixeira (BRA)

2.a: 1-Noe Mar McGonagle (CRI), 2-Lucca Mesinas (PER), 3-Thomas Debierre (FRA), 4-Kan Watanabe (JPN)

3.a: 1-Gabriel Medina (BRA), 2-Mitch Coleborn (AUS), 3-Paul Cesar Distinguin (FRA), 4-Nick Callister (AUS)

6.a: 1-Ryland Rubens (EUA), 2-Tomas Hermes (BRA)3-Gabriel Villaran (PER)4-Marco Giorgi (URU)

7.a: 1-Elliot Paerata-Red (NZL), 2-Lucas Silveira (BRA), 3-Rinta Oooto (JPN), 4-Dean Bowen (AUS)

TERCEIRA FASE – 3.o=33.o lugar (US$ 459 e 360 pts) e 4.o=49.o lugar (US$ 350 e 330 pts):

1.a: 1-Billy Stairmand (NZL), 2-Lucca Mesinas (PER), 3-I Nyoman Artana (IDN), 4-Benjamim Hucker (AUS)

3.a: 1-Thomas Debierre (FRA), 2-Rafael Teixeira (BRA), 3-Guillermo Satt (CHL), 4-Varun Tandjung (IDN)

8.a: 1-Jonathan Gonzalez (CNY), 2-Gabriel Medina (BRA), 3-Hiroya Miwa (JPN), 4-Jack Robinson (AUS)

9.a: 1-Gatien Delahaye (FRA), 2-Gabriel Villaran (PER), 3-Dexter Muskens (AUS), 4-Bronson Meydi (IDN)

10: 1-Gearoid McDaid (IRL), 2-Ryland Rubens (EUA), 3-Manuel Selman (CHL), 4-Cristobal de Col (PER)

11: 1-Tomas Hermes (BRA), 2-Quinn Bruce (AUS), 3-Takuya Hongo (JPN), 4-Yuri Ogasawara (JPN)

12: 1-Marco Giorgi (URU), 2-Thomas Cervi (AUS), 3-Dylan Moffat (AUS), 4-Luke Hynd (AUS)

13: 1-Lucas Silveira (BRA), 2-Lucas Wrice (AUS), 3-Samson Coulter (AUS), 4-Kosuke Okamura (JPN)

SEGUNDA FASE – 3.o=65.o lugar (210 pts) e 4.o=81.o lugar (180 pts):

9.a: 1-Gabriel Villaran (PER), 2-Gearoid McDaid (IRL), 3-Hinata Aizawa (AUS), 4-Chris Rodriguez (HAV)

10: 1-Ryland Rubens (EUA), 2-Dexter Muskens (AUS), 3-Ricardo Williams (PER), 4-Kenta Ito (JPN)

15: 1-Ben Spence (AUS), 2-Rinta Oooto (JPN), 3-Tomas Lopez Moreno (ARG), 4-Kurtis Vaughan (AUS)

FINAL DO QS 6000 ICHINOMIYA CHIBA OPEN:

Campeão: Nat Young (EUA) por 14,17 pontos (7,17+7,00) – US$ 20.000 e 6.000 pontos

Vice-campeão: Evan Geiselman (EUA) com 13,44 (7,47+5,97) – US$ 8.000 e 4.500 pontos

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NO QS 6000 DO JAPÃO:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 2.000 e 1.550 pontos:

3.a: Barron Mamiya (HAV) 12.17 x 11.84 Flavio Nakagima (BRA)

QUARTA FASE – 3.o=17.o lugar com US$ 1.800 e 1.050 pts:

3.a: 1-Barron Mamiya (HAV)=14.83, 2-Nat Young (EUA)=13.76, 3-Thiago Camarão (BRA)=11.17

4.a: 1-Tanner Hendrickson (HAV)=12.10, 2-Flavio Nakagima (BRA)=10.76, 3-Jacob Willcox (AUS)=10.67

TERCEIRA FASE – 3.o=25.o lugar (US$ 1.300 e 700 pts) e 4.o=37.o lugar (US$ 1.200 e 650 pts):

3.a: 1-Reo Inaba (JPN), 2-Sasuke Kawatani (JPN), 3-Marco Fernandez (BRA), 4-Noah Stocca (AUS)

5.a: 1-Nat Young (EUA), 2-Flavio Nakagima (BRA), 3-Joh Azuchi (JPN), 4-David Vlug (AUS)

6.a: 1-Jacob Willcox (AUS), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Alex Ribeiro (BRA), 4-Marc Lacomare (FRA)

9.a: 1-Timothee Bisso (FRA), 2-Connor O´Leary (AUS), 3-Victor Bernardo (BRA), 4-Alonso Correa (PER)

10: 1-Chris Zaffis (AUS), 2-Reef Heazlewood (AUS), 3-Ethan Ewing (AUS), 4-Wiggolly Dantas (BRA)

SEGUNDA FASE – 3.o=49.o lugar (US$ 550 e 400 pts) e 4.o=73.o lugar (US$ 450 e 370 pts):

3.a: 1-Keanu Asing (HAV), 2-Matthew McGillivray (AFR), 3-Samuel Pupo (BRA), 4-Kaito Ohashi (JPN)

5.a: 1-Noah Stocca (AUS), 2-Vasco Ribeiro (PRT), 3-O´Neill Massin (TAH), 4-Marcos Correa (BRA)

8.a: 1-Patrick Gudauskas (EUA), 2-Marco Fernandez (BRA), 3-Kalani Ball (AUS), 4-Charly Quivront (FRA)

9.a: 1-Flavio Nakagima (BRA), 2-Marc Lacomare (FRA), 3-Mateus Herdy (BRA), 4-Kiyoshiro Suda (JPN)

11: 1-Thiago Camarão (BRA), 2-David Vlug (AUS), 3-Ramzi Boukhiam (MAR), 4-Morgan Cibilic (AUS)

12: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Joh Azuchi (JPN), 3-Chauncey Robinson (EUA), 4-Nomme Mignot (FRA)

15: 1-Eithan Osborne (EUA), 2-Cooper Chapman (AUS), 3-Weslley Dantas (BRA), 4-Kevin Schulz (EUA)

18: 1-Alonso Correa (PER), 2-Wiggolly Dantas (BRA), 3-Beyrick De Vries (AFR), 4-Shun Murakami (JPN)

19: 1-Chris Zaffis (AUS), 2-Connor O´Leary (AUS), 3-Sandon Whittaker (AUS), 4-Ian Gouveia (BRA)

20: 1-Ethan Ewing (AUS), 2-Victor Bernardo (BRA), 3-Kyuss King (AUS), 4-Ian Gentil (HAV)

22: 1-Michael Dunphy (EUA), 2-Michael February (AFR), 3-Tristan Guilbaud (FRA), 4-Bino Lopes (BRA)

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar (120 pts) e 4.o=121.o lugar (90 pts):

3.a: 1-Samuel Pupo (BRA), 2-Ryo Miura (JPN), 3-Miyu Furukawa (JPN), 4-Dusty Payne (HAV)

5.a: 1-Marcos Correa (BRA), 2-Sheldon Simkus (AUS), 3-Ryota Matsushita (JPN), 4-John Mel (EUA)

12: 1-Nomme Mignot (FRA), 2-David Vlug (AUS), 3-Jose Gundesen (ARG), 4-Yujiro Tsuji (JPN)

18: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Teppei Tajima (JPN), 3-Harley Ross (AUS), 4-Duke Nagtzaam (AUS)

23: 1-Hiroto Arai (JPN), 2-Masatoshi Ohno (JPN), 3-Leandro Usuna (ARG), 4-Brodi Sale (HAV)