Señoritas bomba altas ondas no segundo dia do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000

por Redação de Olho no Mar / 29/03/2019

Depois foi iniciada a terceira rodada e Carlo Zapata saiu do mar em primeiro lugar pela segunda vez em Punta Hermosa

O mar subiu na quinta-feira e os peruanos também reagiram nas ondas maiores, com o pointbreak de Señoritas bombando esquerdas perfeitas de 5-6 pés no segundo dia do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000 no Peru. Metade dos dez que competiram na segunda fase, passaram suas baterias e a primeira vitória foi conquistada por Juninho Urcia. Depois foi iniciada a terceira rodada e Carlo Zapata saiu do mar em primeiro lugar pela segunda vez em Punta Hermosa. Mas, as melhores ondas foram surfadas pelo francês Marc Lacomare e pelos brasileiros Weslley Dantas e Samuel Pupo, que fez um novo recorde de nota – 8,23 – no Peru.

Foto: Ricardo Malaver

“Foi uma onda muito boa. Quando vi ela vindo, já sabia que ia ser uma onda para high-score (nota alta). Todo mundo só tinha notas baixas, então fui fazendo a onda com batidas e rasgadas pra garantir uma boa nota e foi dito e feito, pois era mesmo uma onda excelente e fiquei feliz pelo 8,23”, disse o atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America.

Samuel Pupo também falou sobre as ondas de Señoritas: “Pra quem surfa de backside nessa onda como eu, é um pouco mais difícil, mas consegui fazer uma boa combinação das manobras, conectar bem uma na outra e é muito bom competir num pointbreak. Acho que pra todo mundo fica mais fácil e mais justo do que em campeonatos com ondas pequenas. Aqui tem muita onda. É um pouco difícil de achar a boa, mas todos têm oportunidades e eu peguei várias na bateria. Acho que é um lugar onde os melhores surfistas vão se destacar”.

Weslley Dantas (Foto: Ricardo Malaver)

O novo recordista de nota do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000 competiu na penúltima bateria da segunda fase, com o potiguar Mateus Sena completando a segunda dobradinha brasileira do dia. Os dois barraram o japonês Kairi Noro e o peruano Lucas Solar. Antes, outro paulista tinha se destacado, Weslley Dantas, igualando a nota 7,5 do francês Marc Lacomare que era a maior do dia até então. Mas, ninguém conseguiu superar os 13,83 pontos do francês na soma das duas melhores ondas computadas na bateria, deixando o recordista absoluto do primeiro dia, o também paulista Thiago Camarão, se classificando em segundo lugar.

“Foi uma bateria muito divertida e finalmente consigo competir num evento com ondas boas”, destacou Marc Lacomare. “Eu só queria pegar duas boas e fiquei feliz em conseguir. É uma remada super longa de volta, então a minha estratégia era não me arriscar muito. Essa é a minha primeira vez no Peru e faz tempo que tento combinar uma trip com o Gabriel Villaran (surfista peruano), mas nunca tivemos uma oportunidade. Quando vi que esse evento estava confirmado, era a hora certa de fazer isso e estou bem animado e motivado por mais um ano completo no QS. Quero fazer o meu melhor aqui”.

Marc Lacomare (Foto: Ricardo Malaver)

REVANCHE AMERICANA – Um dos confrontos que chamou a atenção na quinta-feira foi o que envolveu os dois surfistas que duas semanas atrás decidiram o título do QS 1500 da Flórida em Cocoa Beach. Lá nos Estados Unidos, o catarinense Matheus Navarro festejou sua primeira vitória no Circuito Mundial, mas no Peru ele ficou em último e a bateria foi vencida pelo norte-americano Stevie Pittman. Ele derrotou três brasileiros numa tacada só, com Felipe Oliveira passando junto com ele para a terceira fase do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000.

“As ondas estão bem maiores que ontem e tem umas boas lá fora, mas é importante escolher as que ficam mais em pé”, disse Stevie Pittman. “Sim, eu tive uma final com o Matheus (Navarro) na Flórida, que é perto de onde eu moro na Carolina do Norte. Acabei perdendo e fiquei meio triste, então essa vitória contra ele agora serviu como revanche. Mas as ondas daqui são completamente diferentes de Cocoa Beach e foi legal surfar umas paredes maiores e fazer boas manobras para avançar mais uma fase aqui. Espero que continue assim”.

Stevie Pittman (Foto: Ricardo Malaver)

INKA TEAM – No segundo dia do Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000, os peruanos que competem em casa reagiram em relação ao primeiro dia. Na quarta-feira, dos oito que estrearam, apenas dois se classificaram e Carlo Zapata conquistou a única vitória. Na quinta-feira, Juninho Urcia já ganhou o segundo confronto do dia, que quase termina com uma dobradinha peruana. O brasileiro Luan Carvalho tirou o segundo lugar de Ricardo Williams no final da bateria e ele acabou eliminado junto com o japonês Ryo Kodama.

“Hoje (quinta-feira) o mar subiu e foi um bom início de campeonato para mim, mas eu estava um pouco nervoso por ser minha primeira bateria”, disse Juninho Urcia. “Acho que essa condição favorece o surfe dos peruanos, com ondas fortes e grandes. O nível agora só vai aumentando a cada fase e espero seguir avançando, surfando bem e que as ondas acertem um pouco. Vamos batalhar até o fim e estou feliz por estar competindo com grandes surfistas. Há muito tempo não tinha um campeonato tão importante assim aqui no Peru com muitos pontos. Alguns peruanos estão bem posicionados no ranking mundial e esse evento é muito bom para todos nós e para aqueles que estão começando”.

Juninho Urcia (Foto: Ricardo Malaver)

Na quinta-feira, entre os dez peruanos que competiram na segunda fase, metade avançou para o rounde 3. Juninho Urcia foi o único que venceu, mas Raul Dañino, Gabriel Arturo Vargas, Nicolas Nugent e Sebastian De Romana, passaram em segundo lugar nas suas baterias. Na terceira fase, Sebastian Correa foi barrado pelo japonês Kaiki Yamanaka e o americano Shaun Burns na primeira bateria, mas Carlo Zapata ganhou a segunda, derrotando os brasileiros Krystian Kymerson, Fernando Junior e o chileno Nicolas Vargas.

Na quarta bateria, Adrian Garcia também avançou em sua estreia no Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000 na vitória do costa-ricense Anthony Fillingim. E na disputa seguinte, dois peruanos que se classificaram pela manhã competiram juntos. Juninho Urcia seguiu para a rodada dos principais cabeças de chave, porém Raul Dañino saiu da briga do título em Señoritas. Juninho tirou a maior nota da bateria, só que o brasileiro Lucas Vicente foi melhor na soma das duas ondas computadas.

CABEÇAS DE CHAVE – Os resultados destas baterias da terceira fase que fecharam a quinta-feira, já definiram os adversários dos principais surfistas do “Inka Team” no momento. Alonso Correa será o primeiro cabeça de chave da quarta fase a estrear em Punta Hermosa. O vice-campeão sul-americano do ano passado está escalado junto com o brasileiro que por muitos anos fez parte da elite do CT, Heitor Alves. Os dois vão enfrentar o japonês Kaiki Yamanaka e outro brasileiro, Krystian Kymerson.

Carlo Zapata (Foto: Ricardo Malaver)

Carlo Zapata foi para a segunda bateria, encabeçada pelo francês Nomme Mignot e o brasileiro Yuri Gonçalves. Adrian Garcia está na terceira, que marca a estreia de outro peruano, Cristobal de Col, junto com o brasileiro Lucas Silveira. E na quarta entra o local de Punta Hermosa e atual número 6 no ranking do WSL Qualifying Series, Miguel Tudela. Sua primeira apresentação em casa será contra o brasileiro João Chianca, o costa-ricense Anthony Fillingim e o norte-americano Cole Houshmand. E Juninho Urcia foi para a sexta bateria, dos cabeças de chave Gatien Delahaye da França e Makai McNamara do Havaí.

O Claro Open Pro – Copa Tubos QS 3000 é a segunda etapa promovida pela WSL South America esse ano e a 17.a válida pelo circuito mundial do WSL Qualifying Series. A competição está sendo transmitida ao vivo de Punta Hermosa pelo www.worldsurfleague.com e a primeira chamada da sexta-feira será às 7h45 no Peru, 9h45 no fuso horário de Brasília.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager

+55 (48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

Comunicação do evento:

Hans Firbas – hans@firbas.net

Cel: +51 996 864 785

—————————————————————-

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

SEGUNDA FASE – 3.o=97.o lugar com 60 pts e 4.o=113.o lugar com 45 pts:

——–baterias que fecharam a quarta-feira:

1.a: 1-André Gonçalves (BRA), 2-Krystian Kymerson (BRA), 3-Flavio Nakagima (BRA), 4-Uriel Sposaro (BRA)

2.a: 1-Carlo Zapata (PER), 2-Shaun Burns (EUA), 3-Dunga Neto (BRA), 4-Gustavo Bertotto (BRA)

3.a: 1-Kauê Germano (BRA), 2-Yuri Schoenau (BRA), 3-Gianni Porcari (PER), w.o-Giorgio Gomez (COL)

——–baterias que abriram a quinta-feira:

4.a: 1-Anthony Fillingim (CRI), 2-Luciano Brulher (BRA), 3-Sam Coffey (EUA), 4-Agustin Cedeno (PAN)

5.a: 1-Juninho Urcia (PER), 2-Luan Carvalho (BRA), 3-Ricardo Williams (PER), 4-Ryo Kodama (JPN)

6.a: 1-Aldo Chirinos (CRI), 2-Raul Dañino (PER), 3-Deyvson Santos (BRA), 4-Jonathan Zambrano (EQU)

7.a: 1-Stevie Pittman (EUA), 2-Felipe Oliveira (BRA), 3-Gabriel André (BRA), 4-Matheus Navarro (BRA)

8.a: 1-Brian Perez (SLV), 2-Carlos Gonçalves (EQU), 3-Ezra Sitt (HAV), 4-Gabriel Aramburu (PER)

9.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Thiago Camarão (BRA), 3-Cristobal Montecinos (CHL), 4-Nicolas Diaz Barriga (CHL)

10: 1-Paulo Andrade (BRA), 2-Gabriel Arturo Vargas (PER), 3-Luan Hanada (BRA), 4-Augusto Villaran (PER)

11: 1-Luan Wood (BRA), 2-Nicolas Nugent (PER), 3-Daniel Adisaka (BRA), w.o-Balaram Stack (EUA)

12: 1-Igor Moraes (BRA), 2-Pedro Bianchini (BRA), 3-Ryan Kainalo (BRA), 4-Collin Shinn (EUA)

13: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Maximiliano Cross (CHL), 3-Daniel Glenn (EUA), 4-Vicente Diaz Barriga (CHL)

14: 1-Gustavo Dvorquez (CHL), 2-Sebastian De Romana (PER), 3-Arnau Riera (ESP), 4-Bruno Lazo Del Pielago (PER)

15: 1-Samuel Pupo (BRA), 2-Mateus Sena (BRA), 3-Kairi Noro (JPN), 4-Lucas Solar (PER)

16: 1-Brayner Silva (BRA), 2-Alex Lima (BRA), 3-Wallace Vasco (BRA), 4-Ramon Santiago Torres (PRI)

TERCEIRA FASE – 3.o=65.o lugar com 210 pts e 4.o=81.o lugar com 180 pts:

1.a: 1-Kaiki Yamanaka (JPN), 2-Shaun Burns (EUA), 3-Sebastian Correa (PER), 4-André Gonçalves (BRA)

2.a: 1-Carlo Zapata (PER), 2-Krystian Kymerson (BRA), 3-Fernando Junior (BRA), 4-Nicolas Vargas (CHL)

3.a: 1-Kauê Germano (BRA), 2-Cole Houshmand (EUA), 3-Luciano Brulher (BRA), 4-Pedro Dib (BRA)

4.a: 1-Anthony Fillingim (CRI), 2-Adrian Garcia (PER), 3-Yuri Schoenau (BRA), w.o-Vitor Ferreira (BRA)

5.a: 1-Lucas Vicente (BRA), 2-Juninho Urcia (PER), 3-Raul Dañino (PER), 4-Tomas Lopez Moreno (ARG)

6.a: 1-Luan Carvalho (BRA), 2-Aldo Chirinos (CRI), 3-Paul Cesar Distinguin (FRA), 4-Tamae Bettero (BRA)

7.a: 1-Stevie Pittman (EUA), 2-Jake Elkington (AFR), 3-Roberto Araki (CHL), 4-Carlos Gonçalves (EQU)

——–ficaram para abrir a sexta-feira:

8.a: Jhonny Corzo (MEX), Pedro Nogueira (BRA), Brian Perez (SLV), Felipe Oliveira (BRA)

9.a: Alvaro Malpartida (PER), Thiago Guimarães (BRA), Marc Lacomare (FRA), Gabriel Arturo Vargas (PER)

10: Joaquin del Castillo (PER), Herbert Moreno (BRA), Paulo Andrade (BRA), Thiago Camarão (BRA)

11: Luke Dillon (ING), Leonardo Barcelos (BRA), Luan Wood (BRA), Pedro Bianchini (BRA)

12: Samuel Igo (BRA), Kim Matheus (BRA), Igor Moraes (BRA), Nicolas Nugent (PER)

13: Takuto Ohta (JPN), Ben Coffey (EUA), Weslley Dantas (BRA), Sebastian De Romana (PER)

14: Ian Gentil (HAV), Amaru Rodriguez (PER), Gustavo Dvorquez (CHL), Maximiliano Cross (CHL)

15: Ryland Rubens (EUA), Gabriel Villaran (PER), Samuel Pupo (BRA), Alex Lima (BRA)

16: Theo Fresia (BRA), Daniel Templar (BRA), Brayner Silva (BRA), Mateus Sena (BRA)

QUARTA FASE – entrada dos 32 principais cabeças de chave:

———–3.o=33.o lugar (US$ 550 e 360 pontos) e 4.o=49.o lugar (US$ 450 e 330 pts)

1.a: Alonso Correa (PER), Heitor Alves (BRA), Kaiki Yamanaka (JPN), Krystian Kymerson (BRA)

2.a: Nomme Mignot (FRA), Yuri Gonçalves (BRA), Carlo Zapata (PER), Shaun Burns (EUA)

3.a: Lucas Silveira (BRA), Cristobal de Col (PER), Kauê Germano (BRA), Adrian Garcia (PER)

4.a: Miguel Tudela (PER), João Chianca (BRA), Anthony Fillingim (CRI), Cole Houshmand (EUA)

5.a: Noe Mar McGonagle (CRI), Wesley Leite (BRA), Lucas Vicente (BRA), Aldo Chirinos (CRI)

6.a: Gatien Delahaye (FRA), Makai McNamara (HAV), Luan Carvalho (BRA), Juninho Urcia (PER)

7.a: Ruben Vitoria (ESP), Leandro Usuna (ARG), Stevie Pittman (EUA), 2.o da 8.a

8.a: Alex Ribeiro (BRA), Ricardo Cruzado (PER), 1.o da 8.a, Jake Elkington (AFR)

9.a: Carlos Munoz (CRI), Jhonny Guerrero (PER), 1.o da 9.a e 2.o da 10.a

10: Marcos Correa (BRA), Manuel Selman (CHL), 1.o da 10.a e 2.o da 9.a

11: Lucca Mesinas (PER), Guillermo Satt (CHL), 1.o da 11.a e 2.o da 12.a

12: Jeronimo Vargas (BRA), Renan Peres (BRA), 1.o da 12.a e 2.o da 11.a

13: Ian Gouveia (BRA), José Gundesen (ARG), 1.o da 13.a e 2.o da 14.a

14: Tomas Tudela (PER), Vitor Mendes (BRA), 1.o da 14.a e 2.o da 13.a

15: Tristan Guilbaud (FRA), Pedro Neves (BRA), 1.o da 15.a e 2.o da 16.a

16: Bino Lopes (BRA), Facundo Arreyes (ARG), 1.o da 16.a e 2.o da 15.a