SURF MUNDIAL - Alex Ribeiro garante o tri do Brasil no QS de Marrocos

por Redação de Olho no Mar / 12/09/2018

Na perna europeia do WSL Qualifying Series, Alex Ribeiro conquistou a segunda vitória do Brasil consecutiva numa final paulista com Weslley Dantas em Marrocos.

Não foi só no Surf Ranch Pro que os brasileiros brilharam no fim de semana, com Gabriel Medina e Filipe Toledo comandando o show nas ondas perfeitas criadas por Kelly Slater no deserto da Califórnia. Na perna europeia do WSL Qualifying Series, Alex Ribeiro conquistou a segunda vitória do Brasil consecutiva numa final paulista com Weslley Dantas em Marrocos. Foi a segunda decisão 100% verde-amarela seguida no QS 1500 Anfaplace Pro Casablanca, pois no ano passado, o também paulista Deivid Silva conseguiu o bicampeonato contra o capixaba Rafael Teixeira. Os argentinos também se destacaram este ano em Marrocos, com Santiago Muniz chegando nas semifinais depois de passar pelo compatriota Leandro Usuna.

Weslley Dantas ao fundo e os campeões Alex Ribeiro e a japonesa Mahina Maeda (Foto: Masurel – WSL)

“Eu estou super feliz com a vitória e eu me senti em casa nessa semana aqui”, disse Alex Ribeiro. “As ondas são muito parecidas com as da minha praia no Brasil e eu tive uma boa ajuda nessa semana, com as ondas certas sempre vindo para mim nas baterias. Foi incrível ter feito a final com o Weslley (Dantas). Ele tá ‘on fire’ e não é fácil ganhar dele, mas felizmente consegui fazer minhas manobras e estou amarradão porque é minha primeira vez aqui. Gostei bastante, as pessoas são muito legais e nós tivemos grandes ondas durante toda a semana”.

Na grande final, Alex Ribeiro ficou mais ativo dentro d´água, indo em mais ondas para tentar pegar alguma boa. Ele também estava com as manobras aéreas no pé e largou na frente com notas 6,00 na primeira onda e 7,67 na terceira. Weslley Dantas preferiu ser mais seletivo e não começou bem, mas entrou na briga com o 6,63 da sua quarta tentativa. Enquanto isso, Alex ia colecionando notas na casa dos 7 pontos, descartando duas e somando a maior, 7,83, para vencer por 15,50 pontos. Weslley ainda mostrou seu potencial em uma onda que valeu a maior nota da bateria, 8,33, mas terminou com 14,96 sem conseguir trocar a nota mais baixa.

Alex Ribeiro (Foto: Masurel – WSL)

“Eu tinha uma boa estratégia e estava focado na bateria, mas cometi alguns erros de prioridade nessa final que não poderia fazer”, admitiu Weslley Dantas. “Mesmo assim, eu estou muito feliz com o vice-campeonato, que é um bom resultado também. Eu gosto bastante desse lugar e as ondas estiveram muito boas durante toda a semana. Certamente estarei de volta no próximo ano, porque eu realmente quero ganhar aqui”.

 Com a vitória no QS 1500 de Casablanca, Alex Ribeiro subiu do 22.o para o 15.o lugar no ranking e volta a se aproximar da briga direta pelas dez vagas para a elite dos top-34 da World Surf League. No momento, o australiano Reef Heazlewood é o 13.o colocado e está fechando o G-10, seguido de perto por três brasileiros do litoral paulista, o atual campeão sul-americano da WSL South America, Thiago Camarão, agora por Alex Ribeiro também e Miguel Pupo, que estava competindo no Surf Ranch Pro e caiu do 15.o para o 16.o lugar no ranking.

A lista dos dez que estão se classificando para o CT não mudou no QS 1500 Anfaplace Pro Casablanca. Segue com o paranaense Peterson Crisanto em segundo lugar, o potiguar Jadson André em quinto, o catarinense Alejo Muniz em sexto e o paulista Deivid Silva em 11.o. O vice-campeão em Marrocos, Weslley Dantas, vai chegando perto deste grupo e ganhou mais seis posições no ranking, indo do 29.o para o 23.o lugar.

Weslley Dantas (Foto: Masurel – WSL)

O irmão mais jovem da bicampeã brasileira Suelen Naraisa e do ex-top do CT, Wiggolly Dantas, chegou em sua segunda final seguida na perna europeia. Na semana passada, festejou sua primeira vitória no Circuito Mundial completando aéreos impressionantes no QS 3000 da Espanha em Pantin. Nas semifinais que abriram o último dia do QS 1500 Anfaplace Pro Casablanca, Weslley também voou para ganhar por 16,50 a 11,07 pontos do argentino Santiago Muniz, igualmente irmão mais jovem de um ex-top do CT, Alejo Muniz.

CAMINHO DO TÍTULO – Já o campeão Alex Ribeiro passou apertado pelo sul-africano Dylan Lightfoot, 12,60 a 12,47, antes de garantir o tricampeonato do Brasil em Marrocos. Alex competiu junto com o bicampeão Deivid Silva em duas baterias nas ondas em frente ao Anfaplace Shopping Center, em Casablanca. Por não ter feito sua inscrição dentro do prazo, Alex teve que entrar na primeira fase e estreou na primeira bateria do campeonato.

Deivid Silva (Foto: Masurel – WSL)

Ele começou com vitória e na segunda fase já encontrou o cabeça de chave número 1 do evento, o defensor do título, Deivid Silva, que venceu a bateria. Mas Alex Ribeiro passou em segundo, despachando o australiano Samson Coulter e o francês Colin Doyez. Depois, ganhou um confronto com participação tripla do Brasil pela terceira fase, com o também paulista Vitor Mendes superando Amando Tenorio na briga pela segunda vaga.

Chegou então a última rodada de baterias com quatro competidores, valendo classificação para as quartas de final, quando o formato de disputa muda para o sistema homem a homem. Ele voltou a entrar no mar junto com Deivid Silva para disputar duas vagas e desta vez ganhou dele, que acabou sendo eliminado pelo sul-africano Dylan Lightfoot. Depois, Alex também voltou a encontrar Vitor Mendes na abertura das quartas de final e venceu de novo, conquistando a primeira vaga para o último dia do QS 1500 Anfaplace Pro Casablanca.

Santiago Muniz (Foto: Masurel – WSL)

PARTIPAÇÃO ARGENTINA – As quartas de final começaram com uma bateria brasileira e teve uma argentina também nas ondas de Marrocos, com o mais jovem Santiago Muniz superando o mais experiente, Leandro Usuna, campeão sul-americano da WSL South America em 2016. Na fase anterior, Leandro tinha feito uma grande apresentação, batendo até o finalista Weslley Dantas, com ambos despachando dois franceses. Os argentinos também se destacaram em Casablanca esse ano, mas acabaram se auto eliminando pelo caminho.

Não foi somente na quarta de final entre Santiago Muniz e Leandro Usuna. Na terceira fase, eram três lutando por duas vagas e Santiago também venceu, mas Jose Gundesen e Facundo Arreyes perderam para o jovem francês Justin Becret. Na segunda fase, o campeão sul-americano Leandro Usuna estreou junto com Jose Gundesen e os dois fizeram uma dobradinha argentina sobre os marroquinos Soufiane Charoub e Zouhir Selyann.

Leandro Usuna (Foto: Masurel – WSL)

MELHOR APRESENTAÇÃO – Weslley entrou depois da quarta de final argentina, com o principal surfista de Marrocos no Circuito Mundial. E foi contra Ramzi Boukhiam que ele fez sua melhor apresentação, usando os aéreos e a potência do seu surfe para ganhar a maior nota do campeonato, 9,33. Em seguida, surfou bem outra onda que rendeu 6,97 para confirmar a vitória por um alto placar de 16,30 a 15,40 pontos. Na semifinal contra o argentino Santiago Muniz, Weslley acertou as manobras de novo para tirar notas 8,00 e 8,50 dos juízes e vencer por uma larga vantagem de 16,50 a 11,07 pontos.

Com os 840 pontos do terceiro lugar em Marrocos, Santiago Muniz subiu de 80 para 74 no ranking do WSL Qualifying Series. Já Leandro Usuna recebeu 630 pontos pelo quinto lugar e segue na batalha para entrar no grupo dos 100 primeiros colocados que podem participar das etapas mais importantes, com status QS 6000 e QS 10000. Ele estava em 116.o lugar e agora é o 105.o. Quem entrou nos top-100 foi o semifinalista sul-africano Dylan Lightfoot, que subiu do 109.o para o 96.o lugar.

QS 10000 EM PORTUGAL – Depois de uma etapa do QS 1000 na Inglaterra, duas do QS 1500 na França, uma do QS 3000 na Espanha e o QS 1500 que terminou no fim de semana em Marrocos, a enfraquecida “perna europeia” do WSL Qualifying Series vai agora para o seu evento mais importante em Portugal, o QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais, que começa no dia 24 de setembro na Praia do Guincho, em Cascais. Esta etapa será decisiva na disputa pelas dez vagas para o CT 2019, a terceira das apenas cinco com status máximo de 10.000 pontos. As outras duas são as da Tríplice Coroa Havaiana, que fecham o WSL Qualifying Series em Haleiwa e Sunset Beach.

Mais informações, notícias, fotos, vídeos e todos os resultados das etapas do QS 1500 masculino e feminino de Marrocos, podem ser acessadas nas páginas do Anfaplace Pro Casablanca clicando em “Events” no www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensen, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

—————————————————————-

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

—————————————————————-

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO QS 1500 ANFAPLACE PRO CASABLANCA:

Campeão: Alex Ribeiro (BRA) por 15,50 pontos (7,83+7,67) – US$ 10.000 e 1.500 pontos

Vice-campeão: Weslley Dantas (BRA) com 14,96 pts (8,33+6,63) – US$ 5.000 e 1.125 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 840 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Alex Ribeiro (BRA) 12.60 x 12.47 Dylan Lightfoot (AFR)

2.a: Weslley Dantas (BRA) 16.50 x 11.07 Santiago Muniz (ARG)

FINAL FEMININA DO QS 1500 ANFAPLACE PRO CASABLANCA:

Campeão: Mahina Maeda (JPN) por 12,70 pontos (6,97+5,73) – US$ 10.000 e 1.500 pontos

Vice-campeão: Tessa Thysen (FRA) com 12,50 pts (6,33+6,17) – US$ 5.000 e 1.125 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 840 pontos e US$ 2.000 de prêmio:

1.a: Mahina Maeda (JPN) 13.33 x 12.60 Garazi Sanchez-Ortun (ESP)

2.a: Tessa Thyssen (FRA) 11.96 x 10.07 Minami Nonaka (JPN)

SUL-AMERICANAS NO QS 1500 FEMININO:

5.o lugar com 630 pts: Josefina Ane (ARG) nas quartas de final

13.o lugar com 420 pts: Melanie Giunta (PER) e Lucia Indurain (ARG)

17.o lugar com 300 pts: Lucia Cosoleto (ARG)

RESULTADOS DOS SUL-AMERICANOS NAS OUTRAS FASES:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 630 pontos e US$ 1.000:

1.a: Alex Ribeiro (BRA) 12.00 x 9.97 Vitor Mendes (BRA)

2.a: Dylan Lightfoot (AFR) 13.66 x 13.10 Paul Cesar Distinguin (FRA)

3.a: Santiago Muniz (ARG) 13.67 x 7.33 Leandro Usuna (ARG)

4.a: Weslley Dantas (BRA) 16.30 x 15.40 Ramzi Boukhiam (MAR)

QUARTA FASE – 3.o=9.o lugar (US$ 300 e 450 pts) e 4.o=13.o lugar (US$ 200 e 420 pts):

1.a: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Dylan Lightfoot (AFR), 3-Deivid Silva (BRA), 4-Cole Houshmand (EUA)

2.a: 1-Paul Cesar Distinguin (FRA), 2-Vitor Mendes (BRA), 3-Bino Lopes (BRA), 4-Jake Elkington (AFR)

3.a: 1-Leandro Usuna (ARG), 2-Weslley Dantas (BRA), 3-Justin Becret (FRA), 4-Gatien Delahaye (FRA)

4.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR), 2-Santiago Muniz (ARG), 3-Nelson Cloarec (FRA), 4-Dylan Moffat (AUS)

TERCEIRA FASE – 3.o=17.o lugar com 300 pontos e 4.o=25.o lugar com 280 pontos:

1.a: 1-Deivid Silva (BRA), 2-Jake Elkington (AFR), 3-Herbert Moreno (BRA), 4-Jared Hickel (AUS)

2.a: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Vitor Mendes (BRA), 3-Amando Tenorio (BRA), 4-Jordan Lawler (AUS)

4.a: 1-Bino Lopes (BRA), 2-Dylan Lightfoot (AFR), 3-Timothee Bisso (FRA), 4-Alex Bauduin (CNY)

5.a: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Dylan Moffat (AUS), 3-Eduardo Motta (BRA), 4-Aboubakar Bouaouda (MAR)

6.a: 1-Gatien Delahaye (FRA), 2-Nelson Cloarec (FRA), 3-Theo Fresia (BRA), 4-Tristan Guilbaud (FRA)

7.a: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Justin Becret (FRA), 3-Jose Gundesen (ARG), 4-Facundo Arreyes (ARG)

8.a: 1-Ramzi Boukhiam (MAR), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Rafael Teixeira (BRA), 4-Andy Criere (ESP)

SEGUNDA FASE – 3.o=33.o lugar com 180 pontos e 4.o=49.o lugar com 165 pontos:

1.a: 1-Deivid Silva (BRA), 2-Alex Ribeiro (BRA), 3-Samson Coulter (AUS), 4-Colin Doyez (FRA)

2.a: 1-Jared Hickel (AUS), 2-Vitor Mendes (BRA), 3-Yassine Ramdani (MAR), 4-Kyllian Guerin (FRA)

3.a: 1-Jordan Lawler (AUS), 2-Herbert Moreno (BRA), 3-Reda Brilleman (MAR), 4-Pablo Montero (ESP)

4.a: 1-Amando Tenorio (BRA), 2-Jake Elkington (AFR), 3-Miguel Blanco (PRT), 4-Ignacio Guisasola (ESP)

5.a: 1-Charly Quivront (FRA), 2-Bino Lopes (BRA), 3-Ben Coffey (EUA), 4-Roberto Araki (CHL)

6.a: 1-Cole Houshmand (EUA), 2-Alex Bauduin (CNY), 3-Gaspard Eyraud (MAR), 4-Pedro Neves (BRA)

9.a: 1-Weslley Dantas (BRA), 2-Gatien Delahaye (FRA), 3-Max Kearney (AUS), 4-Pedro Henrique (PRT)

11: 1-Theo Fresia (BRA), 2-Eduardo Motta (BRA), 3-Lucas Silveira (BRA), 4-Kairi Noro (JPN)

13: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Ramzi Boukhiam (MAR), 3-Thomas Cervi (AUS), 4-Leo-Paul Ettiene (FRA)

14: 1-Jose Gundesen (ARG), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Soufiane Charoub (MAR), 4-Zouhir Selyann (MAR)

15: 1-Rafael Teixeira (BRA), 2-Justin Becret (FRA), 3-Enzo Cavallini (FRA), 4-Vitor Ferreira (BRA)

16: 1-Andy Criere (ESP), 2-Facundo Arreyes (ARG), 3-Jolan Bonelli (REU), 4-Pedro Coelho (PRT)

PRIMEIRA FASE – 3.o=65.o lugar com 105 pontos e 4.o=73.o lugar com 98 pontos:

1.a: 1-Alex Ribeiro (BRA), 2-Kyllian Garland (FRA), 3-Thomas Debierre (FRA), 4-Yassine Jmiji (MAR)

2.a: 1-Herbert Moreno (BRA), 2-Amando Tenorio (BRA), 3-Kaspar Hamminga (HOL), 4-Othmane Choufani (MAR)

7.a: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Soufiane Charoub (MAR), 3-Soulaimane Boujinane (MAR), 4-Tab Textor (EUA)

G-10 DO WSL QUALIFYING SERIES – após 48 etapas em 20 países:

1.o: Seth Moniz (HAV) – 17.750 pontos

2.o: Peterson Crisanto (BRA) – 17.420

3.o: Kanoa Igarashi (JPN) – 17.150 e top-22 do CT

4.o: Griffin Colapinto (EUA) – 14.950 e top-22 do CT

5.o: Jadson André (BRA) – 14.110

6.o: Alejo Muniz (BRA) – 12.710

7.o: Jorgann Couzinet (FRA) – 12.585

8.o: Mikey Wright (AUS) – 12.355 e top-22 do CT

9.o: Evan Geiselman (EUA) – 12.210

10.o: Jack Freestone (AUS) – 10.720

11.o: Deivid Silva (BRA) – 10.090

12.o: Ryan Callinan (AUS) – 10.010

13.o: Reef Heazlewood (AUS) – 9.780

——–próximos sul-americanos até 100:

14: Thiago Camarão (BRA) – 9.190 pontos

15: Alex Ribeiro (BRA) – 9.000

16: Miguel Pupo (BRA) – 8.920

17: Michael Rodrigues (BRA) – 8.500

23: Weslley Dantas (BRA) – 8.085

33: Lucca Mesinas (PER) – 6.780

38: Flavio Nakagima (BRA) – 6.090

42: Yago Dora (BRA) – 5.900

46: Victor Bernardo (BRA) – 5.720

49: Jessé Mendes (BRA) – 5.500

50: Marco Fernandez (BRA) – 5.470

51: Miguel Tudela (PER) – 5.460

52: Mateus Herdy (BRA) – 5.440

55: Krystian Kymerson (BRA) – 5.390

57: Ian Gouveia (BRA) – 5.300

59: Italo Ferreira (BRA) – 5.200

61: Jeronimo Vargas (BRA) – 5.180

63: Bino Lopes (BRA) – 5.110

68: Wiggolly Dantas (BRA) – 4.660

70: Willian Cardoso (BRA) – 4.550

72: Tomas Tudela (PER) – 4.440

74: Santiago Muniz (ARG) – 4.355

81: Marcos Correa (BRA) – 4.065

82: Alonso Correa (PER) – 4.035

84: Rafael Teixeira (BRA) – 3.860

87: Lucas Silveira (BRA) – 3.820

90: Luel Felipe (BRA) – 3.730

92: Adriano de Souza (BRA) – 3.700

99: Samuel Pupo (BRA) – 3.485

102: Tomas Hermes (BRA) – 3.400

105: Leandro Usuna (ARG) – 3.270