FLORIANÓPOLIS, Santa Catarina (Quinta-feira, 04 de novembro) – O Billabong apresenta LayBack Pro na Praia Mole, começa na próxima quarta-feira com 176 surfistas de 9 países disputando o primeiro campeonato da World Surf League no Brasil, após a pandemia do Covid-19 que paralisou o Circuito Mundial de Surfe em março de 2020. As etapas do WSL Qualifying Series com status QS 3000 masculina e QS 1000 feminina, marcam o retorno de Florianópolis, que há 6 anos não sediava uma competição internacional, e da Praia Mole, depois de 11 anos. Grandes estrelas do esporte e até da seleção brasileira do CT, vão enfrentar jovens promessas na briga pelos primeiros pontos nos rankings regionais da WSL Latin America, que classificarão dez homens e cinco mulheres para o WSL Challenger Series de 2022.

A maioria dos 144 competidores divididos em quatro fases na categoria masculina e das 32 participantes que estrearão juntas na rodada inicial feminina, nunca participou de uma etapa do WSL Qualifying Series na Praia Mole. Um deles é Yago Dora, o cabeça de chave número 1 do Billabong apresenta LayBack Pro, que começou a surfar nessa praia e hoje está na elite do World Surf League Championship Tour. Os outros titulares da seleção brasileira do CT que vão competir, são o campeão mundial Adriano de SouzaJadson AndréMiguel PupoCaio Ibelli e Alex Ribeiro.

“Estou muito feliz por essa oportunidade de competir na Praia Mole. Vai ser meu primeiro evento profissional lá e fazem alguns anos desde que rolou o último desse nível aqui em Florianópolis, em 2016”, disse Yago Dora“A Praia Mole tem um lugar muito especial no meu coração. Minhas primeiras memórias de surfe são na Praia Mole. Foi onde dei meus primeiros passos no esporte, então a expectativa é muito boa e espero que dê boas ondas, para que o evento possa ser um grande show de surfe”.

Yago Dora recordista de nota no Surf Ranch (Foto: @WSL / Jackson Van Kirk)

O catarinense entrou na elite da WSL em 2018 e no CT 2021 fez sua melhor temporada, ficando em nono lugar no ranking e entre os primeiros nas listas dos recordes do ano. Yago foi o brasileiro que ganhou a maior nota nas sete etapas, 9,73 nas semifinais do Surf Ranch, que só ficou abaixo do único 10 de John John Florence e do 9,93 de Ryan Callinan, ambos conseguidos nas ondas de Margaret River. Também na Austrália, Yago registrou a segunda maior somatória das duas notas computadas, 18,67 pontos em Rottnest Island, que só não superaram os 18,77 de Gabriel Medina na final da etapa de Sidney.

“Essa temporada foi muito boa, porque consegui realizar meu objetivo principal, que era finalizar nos top-10 do ranking”, disse Yago Dora“Foi um ano diferente dos outros e eu fui me sentindo mais confortável a cada etapa, conseguindo colocar o nível do meu surfe por completo em algumas baterias. Eu acho isso importante, quando você consegue mostrar tudo o que você sabe dentro dos 30 minutos de uma bateria. Agora é continuar trabalhando e buscar manter essa consistência, para seguir escalando no ranking”.

CONVIDADOS – Além dos seis surfistas que disputaram o CT esse ano e de ex-tops da elite, como Ian GouveiaAlejo MunizWillian CardosoJessé MendesWiggolly DantasMichael RodriguesRaoni Monteiro e Silvana Lima, dos atletas olímpicos e das promessas da nova geração do surfe sul-americano, outras atrações no Billabong apresenta LayBack Pro são os convidados dos organizadores e patrocinadores do evento. A LayBack escolheu um dos atletas da sua equipe de competição, Lucas Silveira, para se juntar ao havaiano Jackson Dorian e a medalhista olímpica no skate e surfista Sky Brown, da Inglaterra.

Lucas Silveira no WSL Challenger Series da França (Foto: @WSL / Laurent Masurel)

O carioca morava em Florianópolis e agora reside em Portugal, onde nessa semana está competindo no QS 5000 das Ilhas Açores, que vai até domingo. Nesse ano, ele se filiou na WSL Europe e passou a pontuar no ranking regional europeu, classificatório para o WSL Challenger Series, o novo campo de batalha por vagas para a elite do CT. O Billabong apresenta LayBack Pro vai abrir os rankings masculino e feminino da WSL Latin America, que classificam dez homens e cinco mulheres para o WSL Challenger Series de 2022.

“A Praia Mole é o lugar onde eu mais surfo quando estou em Floripa e não ia deixar de competir em um evento do meu patrocinador, a LayBack”, disse Lucas Silveira, direto das Ilhas Açores em Portugal. “O evento vai ser incrível, com várias atrações como a Layback organiza muito bem. Eu sempre treinei na Praia Mole. No ano passado, da pandemia, fiz muitos surf-treinos lá, com o Yago (Dora), Willian Cardoso, Marco Giorgi, Mateus Herdy, então acho que vai ser bem legal ter um evento da WSL lá e será o meu primeiro QS na Praia Mole também”.

Lucas Silveira começou bem no WSL Challenger Series 2021, sendo o único brasileiro a chegar nas quartas de final do US Open of Surfing na Califórnia. Esse quinto lugar o colocou entre os doze que se classificam para o CT 2022, mas perdeu em sua estreia na etapa de Portugal e saiu do G-12. Na da França, semana retrasada, ele eliminou Yago Dora e parou em Mateus Herdy nas oitavas de final, com os dois dividindo a 17.a posição no ranking. Logo após o Billabong apresenta LayBack ProLucas parte para o Havaí, para já ficar treinando em Haleiwa Beach, onde em 25 de novembro começa a etapa que define as doze vagas para o CT 2022.

Lucas e Yago saindo da bateria que disputaram na França (Foto: @WSL / Damien Poullenot)

“Assim que acabar o campeonato, já devo viajar pro Havaí, pois quero chegar um pouco antes para treinar em Haleiwa”, disse Lucas Silveira“A pressão está grande na cabeça de todos que estão ali na briga pelas últimas vagas para o CT. Eu não penso em outra coisa no momento, então esse campeonato na Praia Mole é até bom pra mudar um pouco isso. É importante manter tranquilidade também e estou feliz por chegar no Havaí com chances de classificação. Eu sempre sonhei com isso, então vou lá fazer minha parte e seja o que Deus quiser”.

ATRAÇÕES EXTRAS – Além de Lucas Silveira, a LayBack Beer, marca de cerveja criada pelo medalhista olímpico no skate, Pedro Barros, também patrocina os surfistas Miguel Pupo do CT, Ian GouveiaThiago Camarão, a jovem promessa Laura Raupp, entre outros. O espírito LayBack nasceu em Floripa e suas vertentes – Casa Dipraia, Surf House, Basement, Pátio, Mirante e Brewpub – se tornaram lugares de compartilhamento e vivência da cultura da marca pelo Brasil, enquanto apoia o skate, o surfe, a arte, a música e o estilo de vida colaborativo.

Esse espírito estará presente nas várias atrações extra-competição programadas para todas as noites do Billabong apresenta LayBack Pro pela Ilha de Santa Catarina. Na quarta-feira (dia 10), o pico de encontro da galera é na Casa Soulmar Floripa localizada no Bairro Rio Tavares, na quinta-feira será no Layback Basement na Praia Mole, na sexta-feira no John Bull Layback Brew Pub na Lagoa da Conceição, no sábado no The Search House na Barra da Lagoa e no domingo novamente no John Bull Layback Brew Pub.

Praia Mole (Foto: Marcio David / LayBack Pro)

LayBack Pro apresentado pela Billabong é uma realização da Federação Catarinense de Surf (FECASURF) com a Agência Esporte Arte (AEA) como co-realizadora e a licenciada pela WSL Latin America para promover uma etapa do WSL Qualifying Series, com patrocínios da Corona e GND Incorporadora e apoio da Prefeitura Municipal de Florianópolis, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, da Fundação Municipal de Esportes, do Hotel Selina Floripa e da Associação de Surf da Praia Mole (ASPM). A competição será transmitida ao vivo pelo WorldSurfLeague.com e pelo aplicativo grátis da WSL.

———————————————————–

João Carvalho – jcarvalho@worldsurfleague.com

WSL Latin America Media Manager

———————————————————–

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), criada em 1976, é a principal plataforma do surf e dos surfistas no mundo inteiro. A WSL está dedicada a mudar o mundo através do poder inspirador do surf, criando eventos, experiências e narrativas autênticas para inspirar a comunidade global a viver um lifestyle com dedicação, originalidade e entusiasmo.

A World Surf League é uma organização global e sua sede principal é em Santa Monica, Estados Unidos, com escritórios regionais para a América do Norte, América Latina, Europa, África, Ásia, Australasia e Hawaii. A WSL tem uma profunda apreciação pela rica herança do surf, promovendo progressão, inovação e performance nos níveis mais altos do esporte.

A WSL é composta por Circuitos e Eventos, celebrando os melhores surfistas do mundo em todas as modalidades, realizando anualmente mais de 180 campeonatos globais para coroar os campeões mundiais em todas as divisões; pela WSL WaveCO, onde a inovação encontra experiências inéditas; e pela WSL Studios, que oferece as melhores narrativas através das competições, lifestyle e conservação.