Projeto "A Água pela Vida" realizado pela Nona Reserva Mundial de Surf Guarda do Embaú

por Redação de Olho no Mar / 31/08/2021

Na primeira fase do projeto, de dezembro de 2017 a dezembro de 2019, foram realizadas coletas mensais de águas superficiais em nove pontos amostrais

Projeto "A Água pela Vida" realizado pela Nona Reserva Mundial de Surf Guarda do Embaú em parceria com a QMC  Saneamento, Associação de Surf e Preservação da Guarda (ASPG) e a Save The Waves Coalition (STW). 

Segue o link  do vídeo  https://www.youtube.com/watch?v=vigr_aq6YbA e nos anexos o resumo do  IQA das últimas quatro coletas e algumas fotos.                        


Guarda do Embaú, 30 de agosto de 2021.  
  
Reserva Mundial de Surf monitora Rio da Madre  
  
A Guarda do Embaú foi aprovada no ano de 2016 pela Ong Save The Waves Coalition (STW) como a Nona Reserva Mundial de Surf (RMS), a primeira no Brasil. No ano seguinte o Comitê Gestor Local da RMS estabeleceu, entre outras prioridades, o monitoramento constante do Rio da Madre, que corta os municípios de Palhoça e Paulo Lopes, na Guarda do Embaú, no território catarinense, e que é fundamental para o Ecossistema de Surf e para a manutenção da qualidade de vida dos moradores e daqueles que visitam a Guarda.    
 
Assim, em 2017, a RMS iniciou o projeto “A Água pela Vida”, coordenado pelo biólogo e vice-presidente do Comitê, Geraldo José da Rosa (Goiaba), em parceria voluntária com a QMC Saneamento Ltda. e a Associação de Surf e Preservação local (ASPG) e suporte da Save The Waves Coalition (STW). O objetivo é avaliar, de forma permanente, o Índice da Qualidade da Água (IQA) do Rio da Madre e seus afluentes.   
 
Na primeira fase do projeto, de dezembro de 2017 a dezembro de 2019, foram realizadas coletas mensais de águas superficiais em nove pontos amostrais. Destes pontos, oito  estão localizados no Rio da Madre e dentro da área do Parque Estadual Serra do Tabuleiro (Pest). O outro ponto está localizado no Rio Paulo Lopes (BR-101), afluente da Lagoa do Ribeirão.   
 
Na fase atual, devido a Pandemia do COVID-19, as coletas e análises da água foram interrompidas por alguns meses e sua retomada teve início no final de Setembro de 2020 com análise em cinco pontos, bimestralmente, sendo quatro pontos no Rio da Madre e um ponto no Rio Paulo Lopes (BR-101). Desde o início do projeto até o momento, 177 amostragens já foram realizadas.  
 
Segundo Geraldo, o projeto deve contribuir para a elaboração de estratégias e políticas públicas que visem minimizar os impactos causados pelo uso inadequado deste ambiente, como também, executar ações no sentido de melhorar nossa relação com este rio e recuperar parte do que foi degradado. “É de fundamental importância a continuidade do monitoramento da água e de toda a bacia hidrográfica do Rio da Madre, a fim de que se possa constituir uma base de dados contínua da qualidade ambiental desse importante patrimônio natural, que até a presente data, segundo demonstram as análises, esta com "boa qualidade", destacou. 

Para o diretor presidente da QMC, Djan Freitas, é uma satisfação apoiar o projeto “A Água pela Vida”: “Temos acompanhado e dado suporte com grande prazer ao Comitê Gestor Local da Nona Reserva Mundial de Surf nesta tarefa de monitorar este patrimônio hídrico que é o Rio da Madre. Estamos juntos, tanto para preservar os Rios, como os Oceanos”, afirmou   
 
Trent Hodges, diretor do Programa das Reservas Mundiais de Surf da STW, destaca que é muito importante trabalhar juntos neste projeto para, essencialmente, entender a saúde do Rio da Madre. “As ondas, a comunidade dos pescadores, tudo depende do rio, então temos que garantir que o rio tenha boa qualidade de água, fator extremante importante para o ecossistema costeiro e a comunidade da Guarda do Embaú”, ressaltou.  
  
Marcos Aurélio Gungel (Kito) 

Gerente/Presidente do Comitê Gestor Local da RMS Guarda do Embaú